mulher segurando um copo de leite na mão

O QUE CAUSA INTOLERÂNCIA À LACTOSE? DESCUBRA OS SINTOMAS E SOLUÇÕES!

Mais comum do que se pode imaginar, a intolerância à lactose atinge uma média de 70% dos brasileiros e pode surgir de diferentes maneiras. Embora não seja uma doença e sim um distúrbio causado por não digerir a lactose, pode ser diagnosticado e tratado com uma alimentação adequada.

Quer saber mais? Então segue o texto!

 

O que é intolerância à lactose?

Antes de darmos prosseguimento, é importante salientar que a intolerância à lactose é a incapacidade total ou parcial de o organismo produzir uma enzima no organismo, chamada lactase.

Isso impede a digestão adequada da lactose (açúcar presente no leite e derivados), acumulando-se no intestino, onde é fermentado pelas bactérias ali presente. Desta forma, podendo causar dores de barriga e mal-estar.

 

O que causa a intolerância à lactose?

A intolerância à lactose pode surgir de forma natural, congênita ou mesmo por doenças intestinais.

  • Deficiência primária é quando há uma redução da concentração da lactose com o avançar da idade. Por exemplo, uma criança que está em processo de desmamar e passa a receber outros alimentos no dia a dia, tem uma diminuição na produção da enzima lactase. No entanto, essa queda pode ser acentuada, o que faz com que ingerir leite e derivados se torne um problema.
  • Deficiência secundária é quando micro-organismos ou inflamações intestinais atacam as células responsáveis pela lactase, afetando a produção dessa enzima. Pode surgir por causa de diarreia, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn ou mesmo alergias. Neste caso, pode ser temporária e desaparecer com o tratamento da doença que a originou.
  • A origem genética, ou congênita, como já diz, é um problema que já nasce com a pessoa.

Ressaltamos aqui que, ainda que exista a dúvida e a confusão em relação a intolerância e a alergia à lactose, ambas se diferem entre si. Enquanto a Intolerância é uma dificuldade de quebrar a lactose, o outro é uma resposta a uma proteína específica do leite (principalmente o de vaca). Neste caso, pode causar inchaço, coceira, manchas na pele e dificuldade de respirar.

 

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas da intolerância à lactose variam, mas entre os principais estão:

  • Dor e inchaço abdominal;
  • Alternância entre diarreia e prisão de ventre;
  • Azia;
  • Gases;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea.

Esses sintomas podem aparecer em questão de minutos ou horas após a ingestão de leite ou derivados, como o queijo, creme de leite, requeijão, leite condensado etc. Também podem estar associados a ingestão de alimentos que possuem leite na composição, como sorvetes, bolos, pudins, mingaus etc.

Ao sentir esses sintomas, procure um médico clínico, que poderá fazer o diagnóstico corretamente. Para tanto, podem ser feitos três exames específicos para validar o diagnóstico de intolerância à lactose. São eles:

  • Teste de intolerância à lactose, no qual o paciente recebe uma alta dose de lactose e depois é colhida uma amostra de sangue para medir a glicose — que em pacientes com o distúrbio se mantém inalterados;
  • Teste de hidrogênio na respiração, que tem por objetivo medir o nível de hidrogênio liberado na expiração após ingerir altas doses de lactose;
  • Teste de acidez nas fezes, causado pela fermentação da lactose no intestino.

O diagnóstico levando à conclusão de uma intolerância à lactose, inicia-se então o tratamento.

 

Tratamento

Mesmo que não haja como curar a intolerância à lactose, o portador do distúrbio ainda pode levar uma vida normal, desde que siga de forma adequada a dieta estipulada.

Inicialmente, se suspende a ingestão de leite e derivados da dieta, promovendo o alívio dos sintomas. Depois, são reintroduzidos tais alimentos para identificar a quantidade que o organismo tolera sem manifestar os sintomas.

Com isso, objetiva-se manter uma oferta de cálcio e vitamina D, necessários para a formação da massa óssea. Suplementos com lactase e leites modificados com baixo teor de lactose também ajudam a manter a quantidade necessária de cálcio, quando o leite ingerido não é o suficiente.

 

Soluções

Não há uma solução mágica para o distúrbio, mas algumas recomendações, quando seguidas, podem ajudar no controle e a manter uma vida saudável.

  • Evite abolir completamente o leite da dieta, seguindo a medida estabelecida por seu médico;
  • Leia rótulos de alimentos para conferir a presença de lactose;
  • Atente-se também às bulas, uma vez que alguns medicamentos podem conter lactose em sua composição;
  • Não possuem lactose os leites de soja, de arroz e de aveia;
  • Verduras, alguns grãos (como feijão e ervilha), tofu, salmão, sardinhas, amêndoas, certos temperos (orégano e alecrim) e ovos, podem ser ingeridos para ajudar na fonte de cálcio;
  • Mantenha o suporte de nutrientes para o organismo se alimentando de tudo um pouco. Isso ajuda, também, a manter a digestão de forma adequada.

Agora que você já sabe todos os sinais que podem surgir com a intolerância à lactose e como é feito o diagnóstico, fique atento em como seu corpo reage. Na dúvida, procure um médico.