professora negra em uma sala de aula segurando um livro aberto

Mitos e verdades sobre a profissão de pedagogo

O texto de hoje é especial para quem se formou em pedagogia, ou ainda está pensando em fazer uma  faculdade de pedagogia, e quer saber tudo sobre pedagogia,. Vamos falar mais especificamente sobre os mitos e verdades sobre a profissão de pedagogo:

  1. Para ser um bom professor é preciso ter dom e vocação

Começamos com um mito, pois quem cursa pedagogia ead não necessariamente possui à docência como uma capacidade inata. Ela pode ser uma carreira que, como outras, pressupõe esforço pessoal e formação, seja presencial ou pedagogia a distância, que possibilitem o domínio de aspectos teóricos e práticos ligados à aprendizagem.

Esse mito precisa ser derrubado pois um dos grandes desafios do Brasil é a revalorização da carreira de professor, oferecendo bons salários e condições de trabalho dignas para os educadores. Mas, para que isso ocorra, é necessário que todos tenham acesso à uma formação inicial e continuada de qualidade. Somente com estudos constantes, planejamento e dedicação, será possível se tornar um bom professor que seja capaz de ensinar e fazer diferença para todos os estudantes.

  1. Umas das funções de uma escola é formar cidadãos

Agora uma verdade! Quando falamos sobre o papel das instituições de ensino não podemos desvalorizar a cultura escolar. O ideal é oferecer uma educação integral aos estudantes para ensinar também sobre a importância da cidadania. Nos últimos anos, inúmeros temas foram incorporados ao currículo com esse objetivo.

Mas como citamos no ponto anterior, é necessário ter professores que se sintam valorizados para ir além de suas atividades básicas, como a alfabetização e o ensino dos conteúdos de cada uma das disciplinas. Aqui também existem outras instituições além da escola, como por exemplo alguns espaços culturais e associações comunitárias que podem contribuir com a aprendizagem de aspectos relacionados à cidadania e à cultura.

  1. Educação se aprende só em casa

Outro mito, pois sabemos que a escola, além de dar conta do currículo das disciplinas, também é um espaço importante para a socialização, em que se aprendem regras de convivência e o respeito às diferenças. Sem dúvida é papel da família orientar inicialmente as crianças para que elas dominem algumas regras básicas de conduta.

Mas, essa tarefa, entretanto, não é apenas uma atribuição dos pais. A escola também deve ser responsável por ensinar regras coletivas, que são valorizadas pela cultura da sociedade de que ela faz parte, e que nem sempre são seguidas nas residências dos alunos. É essencial para os estudantes ter também outros adultos como referência, além da sua própria família. O professor, certamente, é um deles e, por isso, pode causar um impacto muito positivo na vida de cada um.

  1. A repetência não melhora o desempenho do aluno

Outra verdade, pois vários estudos apontam que a reprovação tem um alto custo educacional. Quanto mais o estudante repete, maiores as possibilidades de que ele seja reprovado novamente ou até mesmo abandone a escola. O pedagogo que atua como professor, ao avaliar um aluno deve considerar que simplesmente reprovar uma criança por não ter atingido os objetivos propostos e submetê-la a aulas sobre os mesmos conteúdos, inclusive alguns que ela já domina, dificilmente vai contribuir para que ela aprenda mais.

Existem pesquisas que comprovam isso, mostrando que alunos com baixo desempenho, quando repetem aprendem menos do que os que passam de ano. Para reduzir o índice dos que fracassam anualmente no Ensino Fundamental no país, a saída é adotar diferentes estratégias de ensino e aprendizagem para que aqueles que apresentam dificuldades possam se recuperar durante o ano letivo.

  1. A cópia e a repetição são ótimas estratégias de ensino

Mais um mito, pois apenas copiar ou fazer exercícios repetitivos não irão garantir a aprendizagem dos alunos. Apesar de essas serem práticas comuns em muitas escolas, os pedagogos devem ter em mente que as cópias e outras atividades de repetição por si só não irão ajudar uma criança a avançar. Por exemplo, passar longos textos do quadro para o caderno ou resolver inúmeros exercícios do mesmo tipo consumirá um tempo precioso da aula, que poderia ser muito mais bem aproveitado com outras situações didáticas desafiadoras.

É preciso destacar que nesse caso a ideia não é abolir de vez essas estratégias de cópia e repetição, elas ainda podem ser aplicadas, mas somente quando houver contribuição para o aprendizado de determinada habilidade, como por exemplo, jogar várias vezes o mesmo jogo para aprimorar algumas estratégias específicas.

  1. A especialização é fundamental na profissão de pedagogo

Finalizamos o texto com uma verdade! Para você se destacar no mercado e conseguir as melhores oportunidades, é essencial fazer algum tipo de especialização. Em geral, o pedagogo é reconhecido como aquele profissional que atua nas escolas como educador, nos níveis infantil e fundamental. Entretanto, com uma formação dinâmica e ampla, são cada vez maiores as possibilidades de carreira.

Além de atuarem na gestão e administração escolar, os pedagogos são requisitados também em empresas públicas e privadas, na produção de materiais didáticos e até mesmo em hospitais. Podemos citar ainda como boas opções de especialização cursos nas áreas de Gestão escolar;  Pedagogia empresarial; Psicopedagogia e Educação especial.